Archive

Cuidados/Gestação

Posts on Cuidados/Gestação.

Pré Eclâmpsia: Causas, Sintomas e Tratamentos

Como eu,  acredito que muitas mulheres não sabem o que é Pré Eclampsia até acontecer com você, ai você se aprofunda no assunto, por que aconteceu com você,quais os riscos com você e seu bebê! Mesmo que o médico já te explicou, mas você necessita conhecer mais, por que não afeta só você, mas aquele serzinho que já é seu bem mais precioso, você quer protege-lo mesmo antes de vim ao mundo.

20130402_085051

Antes de falar como descobrir, vamos falar o que é Pré Eclâmpsia: Causas, Sintomas e Tratamentos, conceitos tiradas de alguns sites da internet como Dr. Drauzio, Baby Center e Minha Vida para um melhor embasamento sobre o assunto.

O que é pré-eclâmpsia

Pré-eclâmpsia é um distúrbio que afeta cerca de 5% das mulheres grávidas. Ela pode ser classificada como uma “disfunção dos vasos sanguíneos”, nas palavras do especialista Javier Miguelez. O diagnóstico da pré-eclâmpsia é difícil, mas os médicos estão cada vez mais atentos e as pesquisas vêm avançando. Os sinais mais conhecidos são o aumento de pressão arterial e a presença de proteína na urina após 20 semanas de gestação, mas a pré-eclâmpsia pode existir mesmo sem esses sinais.

O mais comum é que o problema apareça depois da 37 semana, mas, na realidade, pode acontecer em qualquer época da segunda metade da gravidez, incluindo durante o parto ou depois (geralmente nas primeiras 48 horas). A pré-eclâmpsia pode ter manifestações em vários órgãos da grávida, algumas bem graves, ou na placenta, causando a restrição do crescimento do bebê. A solução para o problema é fazer o bebê nascer. Por isso ela pode resultar em um nascimento prematuro. A pré-eclâmpsia pode progredir de maneira lenta ou rápida. Os casos rápidos são os mais graves e preocupantes. O nome pré-eclâmpsia foi dado uma vez que essa condição favorece a eclâmpsia, um tipo de convulsão que acontece na gravidez e pode ser fatal para a mãe e bebê.

A pré-eclâmpsia, provavelmente, será diagnosticada durante um exame pré-natal de rotina. Especialistas que podem diagnosticar uma pré-eclâmpsia são:

  • Clínico geral
  • Ginecologista e Obstetra.

 

Causas

A causa exata da pré-eclâmpsia é desconhecida. Especialistas acreditam que ela começa na placenta – o órgão que nutre o feto durante a gravidez. No início da gravidez, novos vasos sanguíneos se desenvolvem e evoluem para enviar eficientemente o sangue para a placenta. Em mulheres com pré-eclâmpsia, estes vasos sanguíneos não parecem desenvolver-se adequadamente. Eles são mais estreitos do que os vasos sanguíneos normais e reagem de forma diferente à sinalização hormonal, o que limita a quantidade de sangue que pode fluir através delas.

As causas deste desenvolvimento anormal podem incluir:

  • Fluxo sanguíneo insuficiente para o útero
  • Danos aos vasos sanguíneos
  • Um problema com o sistema imunológico
  • Certos genes
  • Outros distúrbios de pressão arterial elevada durante a gravidez.

A pré-eclâmpsia é classificada como uma das quatro doenças hipertensivas que podem ocorrer durante a gravidez. Os outros três são:

  • Hipertensão gestacional. Mulheres com hipertensão gestacional têm pressão arterial elevada, mas sem excesso de proteína na urina ou outros sinais de danos em órgãos. Algumas mulheres com hipertensão gestacional podem, eventualmente, desenvolver préeclâmpsia
  • Hipertensão crônica. A hipertensão crônica é a hipertensão arterial que estava presente antes da gravidez ou que ocorre antes de 20 semanas de gravidez. Como a pressão arterial elevada geralmente não tem sintomas, pode ser difícil determinar quando começou
  • Hipertensão crônica com pré-eclâmpsia superposta. Esta condição ocorre em mulheres que têm pressão arterial elevada crônica antes da gravidez e desenvolvem o agravamento dessa pressão com presença de proteína na urina.

 

Sintomas

Você pode não notar um aumento da pressão arterial durante a gravidez até que ela esteja perigosamente alta. Assim, é fundamental para todas as pessoas grávidas agendarem visitas regulares com obstetra e para acompanhar e identificar os sintomas de pré-eclâmpsia precocemente.

Entre os primeiros sintomas estão:

  • Rápido ganho de peso, de 2 a 5 quilos em uma única semana
  • Inchaço da face ou extremidades, especialmente as mãos e pés.

Se a pré-eclâmpsia progride, é possível observar outros sintomas, tais como:

  • Dor de cabeça
  • Alterações da visão (visão turva, visão dupla, vendo pontos de luz)
  • Dor abdominal, especialmente no canto superior direito, ou meio abdômen
  • Urinar com menos frequência
  • Falta de ar
  • Náuseas ou vômitos
  • Confusão
  • Convulsão

 

Tratamentos

Se há diagnóstico de pré-eclâmpsia, o médico irá informar quantas vezes você precisa fazer consultas pré-natais – provavelmente com mais frequência do que o normalmente recomendado para a gravidez. Você também vai precisar de exames de sangue mais frequentes, ultrassonografias e monitoramento da frequência cardíaca mais vezes.

Mudanças de estilo de vida

Toda gestante hipertensa ou com alto risco de hipertensão deve inicialmente fazer mudanças em seu estilo de vida, como ingerir pouco sódio, manter o peso, dormir adequadamente e fazer caminhada regularmente. Se, mesmo com a adoção desses hábitos, a pressão persistir alta, deve-se fazer uso de medicamentos. O repouso absoluto pode ser recomendado, com a gestante deitada sobre o lado esquerdo do corpo tempo todo ou a maior parte do tempo.

Medicamentos

Para pré-eclâmpsia, o tratamento pode incluir:

  • Medicamentos para baixar a pressão arterial seguros para a gravidez
  • Corticosteroides para casos graves ou associados a complicações hepáticas ou de plaquetas
  • Medicamentos anticonvulsivantes para casos graves.

Hospitalização

Pré-eclâmpsia grave pode exigir hospitalização. No hospital, seu bebê será monitorado e o volume de líquido amniótico medido frequentemente. A falta de líquido amniótico é um sinal de que o fornecimento de sangue para o bebê está deficiente.

Parto

Se o diagnostico da pré-eclâmpsia ocorre perto do fim da sua gravidez, pode ser recomendada uma indução do trabalho de parto. As condições do colo uterino – se está começando a abrir (dilatar), afinar e suavizar (amadurecer) – também podem ser um fator para determinar se ou quando o trabalho será induzido.

Em casos graves, pode não ser possível considerar a idade gestacional do seu bebê ou as condições do seu colo do útero. Se não for possível esperar, o médico pode induzir o parto ou agendar uma cesárea. Durante o parto, você pode receber sulfato de magnésio por via intravenosa para prevenir convulsões.

Após o parto

Após o parto, deve-se esperar a pressão arterial voltar ao normal dentro de 12 semanas, mas geralmente isso ocorre muito mais cedo. Se a paciente precisar de medicação para aliviar a dor após a sua entrega, confira com o médico o que pode ser ou não ingerido. A pré-eclâmpsia pode exigir que você fique mais tempo no hospital depois de dar à luz. A doença geralmente não aumenta o risco de pressão alta no futuro.

 

Como descobrir que estava com pré-eclampsia .

Em um dia de consulta com o obstetra, eu estava muito feliz e ao mesmo tempo passando por um momento muito delicado em minha vida, minha sogra estava na UTI entre a vida e a morte (mas graças a Deus ela está viva e bem, sem nenhum sequela), eu estava ansiosa para o GO passar a ultrassom para poder ouvir os batimentos da minha pequena e vê-la. Como de rotina o obstetra pesa e medi a pressão, percebi logo que ele ficou meu aflito quando mediu a minha pressão, e quando conversamos ele novamente mediu e ia anotando no papel, isso não havia acontecido antes, depois deitei na maca e ele veio ver os batimentos da Duda, quando retornei para a sala, ele novamente mediu a pressão, e veio com “você veio com alguém ?”, nessa hora passou tantas coisas na minha cabeça em fração de segundos e minha maior preocupação naquela hora, era a minha princesinha. Como sempre saia do trabalho e ia para as consultas sozinha, (só nas primeiras consultas que fui acompanhada), informei que não, e logo perquntei porque?? Ele disse que ia pedir uma ultrassom de emergência, por que minha pressão estava muito alto e meus pés estavam muito inchado. Ali mesmo no hospital aguardava para fazer minha ultrassom, comecei a ficar aflita por que o médico não quiz me dizer o que era antes de ter certeza. Fiz a ultrassom e ouvir da médica “tudo bem com sua princesinha viu mamãe“, ai que alivio, pois pensava só o pior, na hora me sentir leve, mesmo com o barrigão.

Fui levar a ultra pro Go e ele analisou e disse “mamãe, sua bebê está bem, mas você está com pré-eclâmpsia, sua pressão está muito elevada, muito inchaço nos membros inferiores (pés e pernas) e ganho de peso muito rápido, desde a ultima consulta. Vamos tratar para não virar uma eclâmpsia e pediu que de 3h a 3h medisse a pressão e ligasse pra ele para falar, ele falou com muita tranquilidade sobre o assunto, não sei se por que estava sozinha e ele não queria me deixar preocupada, ou por que ele estava confiante que passaríamos por isso muito bem, sem danos maiores para nenhuma das duas.

Descobrir a pré-eclâmpsia com 37 semanas caminhando para 38 semanas. Desde a descoberta até o dia do nascimento da minha princesinha, foram de medição de pressão em 3h e 3h, nada de sal, alimentação balanceada, muito repouso, meu parto foi antecipado para segurança minha e da minha filha. No dia do parto fiquei com muito medo de algo acontecer, pois li muito sobre o assunto, que alguns casos me assustaram, desde a minha ida para o hospital, até depois do parto foram monitorado rigorosamente. Mas graças a Deus nada aconteceu com nós duas, e com acompanhamento pré natal, foi descoberto a pré-eclâmpsia e todos cuidados necessários foram feitos.

Por isso a importância do pré natal para ambas “mamãe e filho”, se você não tiver plano de saúde, faça pelo SUS, pois as consulta ao GO, muitas doenças, problemas são descobertas a tempos e a chance de salvar você e seu bebê é maior ainda.

cats

Posted by